meditação analítica

Quando falamos em meditação, a maioria das pessoas imaginam aquela imagem de um ermitão sentado em posição de “lótus” recitando o mantra “OM” … Pois saiba que existem diversos métodos de meditação.

Inclusive esta técnica de meditar recitando mantra OM, é uma das últimos níveis de meditação de um estudante, então acredite, se você esta iniciando a meditar esse não é a melhor maneira.

Para que serve a meditação?

Um grande amigo Lama, uma vez me deu um significado de meditação muito simples e que eu gosto bastante. Ele falou que meditar é familiarizar-se com o objetivo em foco durante a meditação.

Por exemplo se estamos meditando sobre o amor, iremos nos familiarizar cada vez mais com o amor e aproxima-lo da nossa vida.

A meditação é basicamente um caminho para conhecer e dominar a mente.

Ao iniciar esse caminho descobrirá diversos bloqueios que estão gravados em sua mente que acabam sabotando seu objetivo de alcançar a felicidade.

Porque eu deveria meditar?

Se você ainda não pratica meditação, saiba que pode estar sendo guiado pela sua ignorância, isso significa que você pode estar sendo influenciado a fazer coisas que não tenham significado para sua alma, isso pode estar afastando você do amor que sente por si mesmo. 

Quando nós mesmos nos causamos um desgosto, por escolhas que fizemos e que desagradam nossa alma, começamos a perder a vontade de viver.

Acabamos tomando estas escolhas por ignorância, por não conhecer de fato quem somos nós, por falta de autoconhecimento agimos muitas vezes para agradar as pessoas ao nosso redor e com isso nos perdemos de nós mesmos.

A palavra meditar significa refletir, os grandes mestres de meditação desenvolveram uma capacidade de observação tão boa que conseguem observar sua mente e as memórias mais profundas inclusive registros de outras vidas.

Quando se chega em um nível tão elevado como este, também é possível meditar e observar a mente divina criadora, já que somo frutos dessa criação, podemos através da meditação sentir e entender a mente divina e criadora da vida.

Alguns estudantes de meditação já alcançaram tal nível de paz e regozijo interno que vivem em um estado da mente de prazer eterno, um estado da mente pura. Para muitos de nós parece ser um estado inalcançável.

Não fomos educados para meditar

Quando criança fomos educados a fazer comparações com os colegas, observando quem desenha melhor, quem corre mais e assim por diante.

Nossas mentes foram treinadas a olhar para fora, a comparar, julgar e ser melhor do que o outro, pois esta visão ocidental nos educa de uma forma burra de certo ponto, porque sinaliza que o caminho é superar o outro, com foco na observação do externo.

Se o foco da educação e desenvolvimento for algo externo, podemos facilmente nos perder de quem somos nós, pois seguimos uma referencia que muitas vezes está em contra nossa própria intuição, ou melhor a voz da nossa alma.

A meditação é totalmente ao contrário desse caminho da comparação, pois ao meditar olhamos para dentro, observamos nossos pensamentos, sentimentos e ações e aprendemos com isso.

No caminho da meditação o que importa é o estado mental em que estamos, e isso não inclui os demais, o externo é apenas o cenário da minha experiência.

Quando entendemos a importância da meditação, deixamos de julgar e comparar as pessoas ao nosso redor, aceitamos como eles são da mesma maneira que aceitamos a nós mesmos.

Claro que melhorar e importante, porém a única importância nesse caminho de desenvolvimento através da meditação é alcançar a mente pura, e se possível ajudar aos demais que encontrem o seu estado de mente pura também.

O que é a Mente Pura ?

Após um certo tempo de estudo de si mesmo podes chegar ao que chamamos no budismo como “mente pura”.

Significa que sua mente está a serviço da sua alma e lhe obedece, neste caso por exemplo se você der o comando para ela calar-se a mente cessa os pensamentos.  Isso quer dizer que você conquistou o domínio da mente.

Uma mente pura entende as leis e valores da mente criativa divina e busca estar em harmonia com a criação.

Sobre a meditação Analítica

Agora que entendemos um pouco mais sobre o significado de meditação, podemos entender que existem diversas maneiras de meditar.

Dentre as diversas práticas de meditação existem três categorias que podemos classificar: Analítica, Ativa e Passiva.

A meditação Analítica como o próprio nome já diz, é a prática de observar nosso corpo/mente e aprendermos dele.

Essa é a primeira meditação que deveríamos acolher enquanto estudantes.

O objetivo da meditação analítica é observar seu corpo, seus sentimentos, seus pensamentos e logo alcançar o nível observar a alma.

Ao tornar-se um observador hábil poderá descobrir mais sobre você mesmo, começará a descobrir coisas que você nem mesmo imaginaria.

Ao observar seu corpo/mente começa a tomar consciência sobre quem é você, e essa observação levará você a querer desvendar cada vez mais sobre si mesmo.

Com o treino de observação da meditação analítica, também irá descobrir padrões mentais que foram criados, durante sua infância provavelmente, que hoje talvez você não queira mais continuar mantendo em sua mente.

A meditação analítica serve para isso, para analisar as memórias guardadas na mente e os pensamentos que são processados por essa máquina biológica chamada cérebro.

Com essa análise poderá descobrir o que está guardado em sua memória e que atualmente já não lhe serve mais.

Além da observação das suas memórias guardadas nesta vida, você poderá escutar melhor sua intuição que é considerado o telefone entre a alma e o corpo, ao melhorar e ampliar sua escuta e observação da sua intuição estará escutando a sua própria alma.

Inicialmente é difícil saber a diferença da intuição e dos pensamentos corriqueiros, com a pratica da meditação analítica você conseguira diferenciar, percebendo que as mensagens chegam por canais diferentes.

Quando chegarmos a observar nossa intuição e trabalhar com ela, podemos então agir de acordo a voz da alma, e com certeza desta forma alcançar a felicidade, essa é a maior alegria de um ser humano.

Agir com sua alma.

Praticamente conseguiremos entender porque nascemos, e qual o objetivo desta vida. Ao chegar a esse nível de compreensão, terás alcançado um alto nível da meditação analítica.

É possível chegar a níveis ainda maiores com estudo e treinamento da mente, nestes casos é importante ter um mentor ou tutor que possa lhe guiar e ajudar a evoluir seu campo mental.

Vou deixar aqui algumas perguntas que estimulam a prática da meditação analítica, para que possa experimentar, por si mesmo.

Busque ter essas perguntas frequentes próximas a você:

  • Por que estou fazendo isso?
  • Como está meu corpo agora?
  • É isso o que eu quero para minha vida?
  • De onde vem esse pensamento?
  • Quem sou eu?

Essas são algumas perguntas vão ajudar você a prática da análise do estado atual da sua mente.

Tendo consciência da mente, poderá escolher melhor as ações para algo mais perto da vontade da sua alma. Isso lhe trará mais paixão pela vida.

Veja também o post que fala sobre a mente positiva

Share:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *